Docentes da Uece protestam contra volta às aulas por ensino remoto

Atualizado em 04 de Setembro de 2020 às 15h29
No mês passado, a reitoria da Uece comunicou que está desenvolvendo uma proposta para retorno remoto às aulas. Foto: Maximiliano Leguiza. 

Docentes da Universidade Estadual do Ceará (Uece) realizaram ato, na quarta-feira (2), contra o início do primeiro semestre de 2020 sem as medidas necessárias para a inclusão digital da comunidade acadêmica. Devido à pandemia da Covid-19, a manifestação reuniu poucas pessoas, todas com máscaras, na entrada do Campus Itaperi, em Fortaleza.

Em agosto, a universidade comunicou que trabalha em uma proposta de "retorno remoto" às aulas para final de setembro ou início de outubro deste ano. A proposta, segundo a instituição, deverá ser encaminhada posteriormente ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Uece para deliberação.

A categoria reivindica a atualização do Plano de Atividades Docentes (PAD), a ampliação de bolsas estudantis para discentes de baixa renda não amparados pelo cadastro do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop) e a disponibilização de infraestrutura tecnológica para este público a fim de garantir plenas condições de participação nas aulas, a exemplo de computadores e pacotes de acesso à internet, entre outros.

"Com a ausência de um plano de medidas que expresse condições adequadas ao trabalho docente e que permita a permanência estudantil, o início do novo semestre aprofundará desigualdades e demarca nítida imposição de uma universidade onde alguns – os mais pobres – ficam para trás", explica Sandra Gadelha, presidente do Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual do Ceará (Sinduece - Seção Sindical do ANDES-SN).

Para Jessica Rebouças, diretora da União Nacional de Estudantes (UNE), a pandemia aprofunda a necessidade por ampliação da política de assistência estudantil, já que "a maior parte dos brasileiros está passando por situação de vulnerabilidade e, com isso, o papel da Uece deve ser amparar e ajudar a combater as desigualdades, e não criá-las", defende.

Ensino remoto e o desmonte do trabalho
O ANDES-SN lançou nesta semana o volume 4 da Cartilha Projeto do Capital para a Educação: O ensino remoto e o desmonte do trabalho. A publicação trata de temas atuais, como a pressão que governos e empresas privadas têm feito para a implementação do ensino remoto nas instituições de ensino superior durante a pandemia da Covid-19, entre outros temas.

Foto capa: Natali Carvalho 
Fonte: Sinduece SSind.
Edição e acréscimo de informações do ANDES-SN

Compartilhe...

Outras Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS