25 de novembro: Dia Internacional de Combate à Violência Cometida Contra as Mulheres

Publicado em 25 de Novembro de 2021 às 13h59

O 25 de novembro marca o Dia Internacional de Combate à Violência Cometida Contra as Mulheres, com o objetivo de denunciar os crimes contra as mulheres no mundo todo e exigir políticas em todos os países para sua erradicação.

A data homenageia as irmãs Mirabal (Pátria, Minerva e Maria Teresa), conhecidas como Las Mariposas, que, por sua resistência à ditadura de Rafael Leónidas Trujillo, na República Dominicana, foram torturadas e assassinadas neste mesmo dia, em 1960. No Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho de 1981, realizado em Bogotá (Colômbia), a data do brutal assassinato das irmãs foi proposta como dia Latino-Americano e Caribenho de luta contra a violência à mulher. Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 25 de novembro como o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher.

Segundo Teresa Esmeraldo, coordenadora do Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres Vítimas de Violência (NAH), da Universidade Estadual do Ceará (Uece), essa é uma data histórica muito importante na agenda política feminista. “É um dia internacional de lutas contra a violência de gênero historicamente direcionada às mulheres, apenas pelo fato de serem mulheres, e que as atinge de modo desproporcional em sociedades sustentadas pelo patriarcado, pela misoginia, pelo racismo estrutural e pelas desigualdades de classe. A data foi escolhida para não nos esquecermos da intrínseca relação entre as lutas das mulheres pelo direito a viver uma vida sem violência e as lutas pela democracia”, conta.  

A docente acrescenta que a data também tem um sentido político mais amplo que “remete à violência estrutural contra as mulheres, não apenas a violência doméstica e familiar, mas as todas as violências de gênero cometidas contra mulheres inclusive aquelas perpetradas pelo próprio Estado e seus agentes”, completou.

Números da violência
Uma em cada quatro mulheres brasileiras acima de 16 anos sofreu algum tipo de violência física e ou sexual ou agressão durante a pandemia de Covid-19. Ou seja, cerca de 17 milhões de mulheres foram atacadasfísica, psicológica ou sexual entre maio de 2020 a maio de 2021. As informações foram coletadas pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e Instituto Datafolha em 130 municípios de pequeno, médio e grande porte.

Outro dado alarmante divulgado recentemente no Atlas da Violência 2021, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo FBSP, mostrou que 3.737 mulheres foram vítimas de homicídio no Brasil em 2019. Dessas, 1.246 mulheres foram assassinadas em suas próprias residências, o que representa 33,3% do total de mortes violentas de mulheres registradas. Enquanto os homicídios de mulheres nas residências cresceram 10,6%, nos últimos 12 anos, os assassinatos fora das residências apresentaram redução de 20,6% no mesmo período, indicando um provável crescimento da violência doméstica, segundo a pesquisa.

Compartilhe...

Outras Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS